PUBLICIDADE
Nestlé libera funcionários com seus pets no trabalho com direito a crachá
16/05/2022 06:11 em Notícia Boa

Nestlé se tornou a primeira empresa ‘pet friendly’ da América Latina ao permitir que seus funcionários possam trabalhar com seus pets, que também têm direito a crachá e tudo.

“Nossa política pode ser de 60% de tempo no escritório e 40% em casa, mas não tem como explicar isso para o seu pet”, diz Enrique Rueda, vice-presidente de recursos humanos da Nestlé Brasil.

Segundo o executivo, o modelo mais flexível de trabalho deve incluir os aprendizados adquiridos ao longo do período da pandemia e ir além apenas do local onde o trabalho é realizado. E, se levamos o trabalho para casa, nada mais justo do que levar um pouco de casa para o escritório.

Pets at Work

A ideia foi ampliar o programa Pets at Work, uma iniciativa que já existia na empresa, mas que ocorria em datas pontuais e depois de 6 edições já foram mais de 500 pets.

“A gente sabe hoje que os pets são parte da família. Trazê-los para dentro da empresa é uma continuidade das transformações. O bem-estar que o pet proporcionou para seu tutor em casa vai ter continuidade no retorno”, diz Renata Scaf Silveira, gerente de informação veterinária da Nestlé Brasil.

Segundo pesquisa Radar Pet 2021, o número de animais de estimação nos lares brasileiros cresceu 30% durante a pandemia. E tanto os pets quanto seus tutores se acostumaram a trabalhar juntos em casa.

Os poderes dos animais

A gerente destaca que animais já são usados em terapias e dentro de hospitais. Agora, os benefícios positivos da relação entre pets e seus humanos podem se estender para o ambiente de trabalho.

“Temos um estudo nosso do Pet Care Center, nos Estados Unidos, que mostra que acariciar um pet acalma os batimentos cardíacos. Ou seja, existe de fato um benefício físico além do emocional”.

E há um outro benefício importante: tornar o trabalho presencial mais atrativo. O retorno ao escritório em meio a transformações no mundo do trabalho é desafiador. E, para Rueda, a presença dos pets ajuda a quebrar o gelo e promover conexão entre as pessoas.

Ao andar pelo escritório no primeiro pet day de muitos na Nestlé, é possível ouvir diversos latidos no meio de rodas de funcionários conversando e bebendo um café (com desenho de patas na espuma).

Agora, para receber cães e gatos no escritório todos os dias, o escritório precisou se tornar mais “pet friendly”.

Infraestrutura na Sede da Nestlé brasil

Foram cerca de seis meses de conversas e planejamento junto ao condomínio onde se situa a sede em São Paulo para ter todas as adequações de infraestrutura e sanitárias para o programa. No entanto, a ideia inicial do programa começou há mais de um ano.

“Somos a primeira sede pet friendly da América Latina”, diz a executiva. “Ter um espaço dentro de um condomínio corporativo voltado para os pets é disruptivo”.

Área de convivência

Primeiro, o andar de Nestlé Purina, a unidade de cuidados com os animais da empresa, se tornou o anfitrião para os pets. O local tem uma área de convivência e é ideal para que funcionários e seus pets trabalhem juntos.

Depois, o lado externo ganhou uma área reservada com gramado e cercado para que os cães e seus tutores possam passear e ter um momento de descompressão.

Uma área externa apenas para gatos ainda será construída e há planos para reservar salas de reunião específicas para que os felinos fiquem mais tranquilos.

Regras

Para acessar o prédio, há um alinhamento com outras empresas do condomínio, foram colocadas sinalizações no chão e os elevadores foram adaptados. Para os pets não se estranharem no espaço fechado, a regra é que um deve sair do elevador antes do outro entrar.

E não é apenas levar o animal para o escritório: com a ajuda das veterinárias da companhia, os bichinhos precisam ser cadastrados e têm uma ficha que certifica que não há riscos para a convivência com os outros animais. Uma garantia necessária para ir ao trabalho, por exemplo, é mostrar que a vacinação está em dia.

Para manter a ordem, os tutores devem garantir que os pets estejam com suas coleiras o tempo todo e providenciar os brinquedos e alimentação. Cuidados com higiene também são responsabilidade do dono do bichano.

Além disso, a empresa não deixa de lado os funcionários que não podem, ou não querem ter contato com os animais. Alguns andares serão abertos para a convivência com os pets e outros serão mais restritos, como o andar reservado para reuniões e trabalho com foco e em silêncio.

“Se quer trabalhar na Nestlé, você não tem de restringir sua relação com seu cachorro. Se não gosta, também não tem problema. Queremos criar um ambiente diversos e incluso para todos.

O principal é que aqui você possa ser quem você é. Se gosta ou não de cachorros. Se gosta de barulho ou não, se prefere trabalhar em conjunto ou sozinho”, diz Rueda.

Crachá da pug Frida, na sede da Nestlé em São Paulo Foto: Exame

Crachá da pug Frida, na sede da Nestlé em São Paulo Foto: Exame

Funcionários chegando ao escritório da Nestlé, em São Paulo Foto: Carol Sperandio/Nestlé/Divulgação

Funcionários chegando ao escritório da Nestlé, em São Paulo Foto: Carol Sperandio/Nestlé/Divulgação

Funcionários com um pet no escritório da Nestlé em São Paulo Foto: Exame

Funcionários com um pet no escritório da Nestlé em São Paulo Foto: Exame

Com informações da Exame

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE